O Grupo Nabeiro – Delta Cafés, está a produzir máscaras e viseiras

O Grupo Nabeiro – Delta Cafés, está a produzir material de proteção, nomeadamente máscaras e viseiras, para os profissionais de saúde que estão na linha da frente do combate à pandemia da Covid-19.

Os materiais de proteção estão a ser produzidos pela Toldiconfex, empresa do grupo normalmente dedicada ao fabrico e comercialização de reclames publicitários luminosos, toldos e chapéus-de-sol, entre outras confeções de artigos têxteis.

“A responsabilidade social faz parte da nossa política de gestão, assim como o nosso compromisso com a sociedade e, em particular, com a comunidade do Alentejo. De Norte a Sul e tendo em conta o momento que vivemos, estamos mobilizados, dentro das nossas possibilidades, para ajudarmos as instituições que estão a trabalhar arduamente no combate a esta pandemia. O café ajuda a dar energia e, neste sentido, estamos também a levá-lo a todos os hospitais do país. Acreditamos que juntos vamos conseguir superar esta etapa difícil para todos”, refere João Nabeiro, administrador do Grupo Nabeiro – Delta Cafés, em nota de imprensa.

As máscaras e viseiras já foram entregues a alguns Hospitais do Alentejo, nomeadamente ao Hospital de Portalegre e Elvas.

 

Projetos cofinanciados

O Grupo Nabeiro, através da NOVADELTA – Comércio e Indústria de Cafés, Lda. tem vários projetos a decorrer no âmbito do COMPETE 2020, nomeadamente:

– Go Green: Valorização de borras de café para obtenção de novos biomateriais compósitos passíveis de serem utilizados na produção de novas cápsulas de café, acessórios e componentes dos equipamentos de extração da bebida de café;

– ECO4COFFEE – Eco-Friendly Composites for Coffee Packaging: Desenvolvimento de compósitos amigos do ambiente para cápsulas e outras soluções de embalagens para café moído;

– Essence: Projeto de desenvolvimento de formulações de base para o desenvolvimento de pastilhas de café solúvel ou torrado moído com biorevestimento para bebidas com perfil sensorial do café expresso .

 

Fonte: Dinheiro Vivo